sexta-feira, 1 de fevereiro de 2008

O CEMITÉRIO DO VAREJO (III)

Essa é a lei da reciprocidade. Você mantém seus clientes com base em oferecer sempre uma vantagem e eles são fiéis a você até conhecerem uma vantagem melhor!Para uma relação comercial fria, nada mais justo! Nesse tipo de relação, nada é permanente. Dá forma que nos relacionamos com os clientes no varejo, atraímos cada vez mais clientes oportunistas que só pensam em ficar (como na palestra do meu amigo Dado - A Era do Ficar). Isso mesmo, como a garotada nas festas! Esse consumidor diz assim: "Só estamos juntos enquanto a coisa for vantajosa pra mim. Assim que alguém oferecer mais eu vou embora!"Se você pensar em resultados imediatos, ok. Você vem fechando as metas com muita agressividade. Parabéns. Mas se você está pensando em perpetuar a marca e o negócio, tá na hora de você repensar suas práticas e seus conceitos. Não é "ficando" que você vai perpetuar alguma coisa. Para perpetuar você precisa casar! (desculpe o trocadilho)Como estrategista eu diria que isso é um grande problema e uma bela oportunidade. Porque todo mundo está correndo com a manada! Um faz todos fazem! Estabeleceu-se o padrão e todo mundo está preso a ele. Reféns de uma forma, de uma postura, de uma prática que ninguém tem coragem de questionar. Este é o problema do varejo. Ninguém está disposto a construir nada diferente porque ninguém ainda teve a coragem de quebrar essas regras do varejo.No final todo mundo só tá ficando! O varejo finge que vai sempre te oferecer mais e você vai ficando com a gente fingindo que é fiel!...

Nenhum comentário: